Sábado, 14 de Julho de 2007

Com a empregada

Eu era gerente de uma loja de imóveis e um dia uma moreninha de dezoitos anos, cintura fina, minissaia e bunda firme e redonda apareceu procurando emprego. Disse a ela para voltar mais tarde, marcando uma entrevista para as 18:30, quando não havia mais niguém na loja. Assim que ela chegou comecei a perguntar sobre a vida dela e soube que já era juntada com um malandro desde os trezes e que precisava do emprego. Fui bem claro com ela.

Disse " olha, pelo que você me contou, percebo que você é puta e as vagabundas como você só têm um jeito de conseguir emprego, dando a buceta. Ela ficou encabulada e quis ir embora. Pedi desculpas e disse que estava brincando e que ela era muito bonita e que queria que ela trabalhasse na loja. Convidei ela para conhecer a loja e fui atrás dela olhando aquela bunda que estava doido para traçar. Num momento passei a mão na bunda dela e disse: que potência hein morena. Ela riu um pouco e continuou andando, tirei o pau para fora já duro e mostrei para ela :"veja como você me deixou. Agora preciso de alívio". Ela continuou andando e disse que seu marido a esperava em casa e já ia embora, quando eu, com medo de não poder foder aquela puta safada disse: eu te dou o emprego, venha preencher a ficha. Enquanto ela preenchia vi que a piranha estava sem sutiã e com os peitinhos durinhos à mostra quando abaixava para escrever. Comentei com ela que seria muito bom chupar aqueles peitinhos. Ela ficou nervosa ainda mais e então eu disse que não aguentaria se ela pelo menos batesse uma punhetinha e ela teria o emprego. Ela ainda se negou, dizendo que era casada. Pedi por favor e tirei o pau para fora."só uma punhetinha e eu nunca mais peço nada. O que custa?" Ela concordou e começou a me punhetar. Suas mãozinhas mal cobriam meu pau que estava quente e duro. Comecei a gemer e dizer que estava bom demais e cada vez mais chegava o pinto perto da boquinha morena. Ela afastava a cabeça, mas eu dizia que chupar um pouquinho não era trair o marido e que depois ela lavava a boca e tudo voltava ao normal. MAs ela se afastou até onde não dava mais e fiquei com o pau forçando sua boca um tempão até que ela abriu e enfiei. De início fiquei socando a pica e tirando e ela com a boca aberta,sem participar, mas aos poucos começou a mamar de verdade e como chupava bem. Eu dizia "isso, gatinha, chupa o meu pau, chupa gostosa" Ela aumentou o rítmo e eu gozei. Tentei gozar dentro de sua boca e ela retirou a cabeça de repente. Depois ela quis ir embora, mas eu disse que queria ver sua bucetinha só um pouquinho. Ela disse que não, mas eu prometi que era só isso e não pediria mais nada. Ela abaixou a saia e sob a calcinha minuscula vi aquela buceta que fez meu pau latejar na hora. Cai de boca em cima da calcinha. Ela resistiu, mas eu levantei a calcinha e chupei com vontade enfiando a língua e chupando. Logo ela parou de resistir e já estava gozando. Pedi para esfregar o pau na porta da buceta um pouquinho. Ela disse que estava tarde. Eu coloquei o pau assim mesmo e fiquei esfregando, dizendo que iria gozar na porta da bucetinha e ela relaxou um pouquinho e aproveitei para enfiar de uma vez até o saco. Ela pediu para tirar, mas eu continuei bombando com força de dizendo: toma puta, safada, toma rola puta fodida, traidora do marido ladrão e bandido, toma na buceta sua cadelinha, eu vou te comer todo dia putinha ordinária. Nisso ela já estava gemendo e gozei dentro da safada, enchendo ela de porra. Ficamos deitados um pouco e quando ela se virou, pela anatomia do cu, percebi que o marido já havia conferido o cuzinho mais de uma vez. Cai de língua e ela desta vez ficou só gemendo e nem reclamou quando subi em cima e enfiei no cu, sem dificuldade. Ela continuou gemendo quietinha, tomando no cu por mais de dez minutos. Depois que gozei ela se vestiu e foi embora. Passado um mês contratei outra funcionária e mandei a morena embora, indicando ela para um colega de outra loja que também gosta de foder mulheres pobres querendo emprego. Ele ja me arrumou mais de dez jovens para eu traçar só na promessa de emprego. Assim eu vou torando mulheres novas há muito tempo. Pelo menos um boquete eu exijo de cada funcionária para garantir o emprego.


publicado por fodertudo às 11:41
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De rosana a 7 de Janeiro de 2011 às 01:52
VC é nojento ate quando acha que vai ficar fazendo isso,nao ache que vai ficar velho,tomara que peguue uma doença seu porco


De euu a 2 de Janeiro de 2014 às 05:47
Vc e um otario filho de uma putai


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

online

.arquivos

. Julho 2007

web page counter
Target Online Shopping

.chupa

http://www.mediafire.com/?2hto9zemjoy
SAPO Blogs

.subscrever feeds